• Flora Quinhones

Água e saneamento básico são prioridades no mandato

Atualizado: 1 de fev. de 2021

A pauta hoje é água e saneamento básico. Na manhã desta terça-feira, dia 12, o vereador Ricardo Blattes realizou uma visita cortesia na superintendência da Companhia Rio-grandense de Saneamento (Corsan), para falar sobre as principais demandas relacionadas à infraestrutura hídrica e de saneamento da cidade. Estiveram presentes o superintendente José Epstein e a gestora da Unidade de Saneamento de Santa Maria(USE), Andreia Zanini.


Durante a reunião, o vereador dialogou sobre água e o saneamento básico ser uma competência exclusiva do município e que por isso, a conversa era tão importante. Desta forma, buscou entender as atividades promovidas pelo órgão público, assim como cobrar um parecer sobre as atividades prometidas no contrato de prestação dos serviços de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto do Município.


Epstein demonstrou em tempo real as atividades de abastecimento de água na cidade, assim como relatou as principais previsões de investimento da Companhia no município, nos próximos anos. O contrato firmado com a prefeitura prevê 5 anos transitórios, que são o pagamento de uma dívida com o município. Neste período a Corsan fará investimentos em esgotamento sanitário, estações de tratamento e ações relativas à temática na cidade e distritos. Assim, o plano prevê que a cidade atinja o nível de 80% do esgoto tratado, sendo que hoje, Santa Maria possui 57,5%, de cobertura de esgotos, um dos melhores índices no Estado.




Além das obras que já vem ocorrendo na cidade, o superintendente destacou a obra da perimetral Sul-Leste, que ligará a BR-392, no Bairro Tomazetti, à Estrada de Pains, no Bairro Camobi, que conta com parte de recurso da Corsan destinado pelo contrato. Ele, inclusive, prevê a área como um possível local de crescimento da cidade nos próximos anos.


Blattes questionou sobre a dificuldade de fornecer água para regiões onde se instalam ocupações. Segundo o superintendente, isso acontece porque não existe uma legislação que permita esse tipo de ação em áreas sem regularização fundiária. Mas como contrapartida, a instituição lançou o programa Água, Vida e Cidadania que promove o abastecimento de água em áreas irregulares sem custo ao cidadão, também oferecendo três meses de isenção de tarifa, enquadramento em tarifa social por 2 anos e acompanhamento socioambiental durante a implantação do projeto para orientar sobre consumo consciente de água. Algumas ocupações incluídas neste programa são Altos da Lorenze, Monte Betel, Carazinho, Pinha Velha da Fronteira, entre outras. Apenas regiões de área particular como a ocupação da Babilônia não conseguiram ser incluídas.


O vereador ainda buscou entender como o sistema de drenagem impacta nos serviços ofertados pela Corsan. “Onde não tem drenagem, existe um sistema irregular muito grande de esgoto, de fluvial dentro do clocal, e de certa forma isso causa uma certa sobrecarga na central de tratamento de esgoto, mas essas são obras de competência do município", relata Epstein.


Ricardo colocou o mandato à disposição e reiterou a disposição para defender futuras demandas sociais da Corsan. “É importante que o mandato estabeleça uma relação com as principais instituições públicas da cidades para que possamos solucionar problemas crônicos do município assim como o planejamento urbano. A conversa de hoje mostra que tem muito trabalho a ser feito e que precisamos ficar atentos para não deixar passar!”