• Flora Quinhones

Comitê do Meio Ambiente define grupos de trabalho: coleta seletiva e de educação ambiental

Educação ambiental e coleta seletiva serão os assuntos focos das frentes de trabalho iniciais montadas pelo Comitê pelo Meio Ambiente. Em reunião na sede do Grupo Diário na manhã desta terça-feira, foram definidos que o ambientalista Homero Bousinha deve liderar o grupo de trabalho sobre a coleta seletiva, e que a professora Joele Schmitt Baumart estará a frente do grupo da educação ambiental.

Ambos os grupos unirão pessoas relacionadas ao assunto, e dispostas a defender a causa, que deverão ser convidados ao longo desta semana. Além destes, em um segundo momento ainda deve existir o grupo de trabalho voltado às sacolas plásticas.





Coleta seletiva

Em reunião, foi discutida a situação de regularização das cooperativas de reciclagem de Santa Maria, quanto a condição burocrática necessária para que os processos avancem. O grupo será formado por Homero Bousinha, ambientalista e integrante do GT Simbiose, com coordenação de Ivan Nazaroff, membro do Comitê e engenheiro civil da Superintendência de Monitoramento e Fiscalização Saneamento do município.

– A ideia é que a gente pegue alguns exemplos do Rio Grande do Sul, de várias prefeituras, associações e cooperativas. Vamos buscar essas experiências, o lado positivo delas e tentar entrar num consenso aqui para Santa Maria, do que a gente pode adaptar – revela Homero, quanto aos primeiros passos do grupo.

Deverão fazer parte do grupo representantes do Ministério Público do Trabalho, da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), da Universidade Franciscana (UFN), da prefeitura de Santa Maria, da Câmara de Vereadores e da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam).


Educação Ambiental

Afrente do grupo de trabalho de educação ambiental, estará a professora Joele Schmitt Baumart, coordenadora dos anos finais da Secretaria Municipal de Educação (Smed). Joele trabalha desde 2015 na rede municipal e trouxe à reunião alguns panoramas quanto à realidade dos alunos, e o número expressivo de pais que possuem relação com a coleta de recicláveis. Inicialmente, deve ser feita uma avaliação de como implementar essa consciência ambiental, como explica Joele:

– Estudar como algumas ações podem ser desenvolvidas, e associar nossos estudantes com toda essa demanda que está no cotidiano deles. É perceptível o quanto envolver nossos estudantes acaba alcançando e tendo uma amplitude muito maior, chegando na casa das famílias e muda hábitos que estavam consolidados.

No grupo de educação e conscientização ambiental, farão parte professores das universidades, UFSM, UFN e IFfar, além de representantes das escolas municipais, estaduais e particulares da cidade.


Próximo evento

A coleta seletiva deve ser o tema do próximo do 2º Bate-papo promovido pelo Comitê, marcado para o mês de outubro. A implementação do modelo de coleta seletiva na cidade ainda depende do lançamento da coleta de lixo convencional e conteinerizada, marcado para fim deste mês, e que deve reorganizar o modelo atual. Somente após sua aplicação, é que deve ser lançado o contrato de coleta seletiva, previsto para ter início gradual somente no ano de 2023.

Um terceiro evento também foi decidido pelo grupo, marcado para o mês de novembro. Estiveram presentes representantes da Câmara de Vereadores, da prefeitura de Santa Maria, da Universidade Franciscana (UFN), da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), do Instituto Federal Farroupilha (IFfar) e do Grupo Diário.