• Flora Quinhones

Defesa da moção de repúdio a política do Ministro Salles

Atualizado: 2 de mai. de 2021



Nesta quinta-feira, dia 29, o vereador Ricardo Blattes realizou a defesa pela moção de repúdio ao ministro Ricardo Salles e suas políticas de meio ambiente. Ele manifestou que a atitude tem interesse em instigar o debate sobre a temática entre os Vereadores na Câmara e defender um Brasil que preserve e desenvolva, respeitando o meio ambiente.


Após diversas indagações, Ricardo fez um apelo para que os demais vereadores aderissem a proposição. A moção, no entanto, não foi aprovada, por 13 votos a 7. Os 4 vereadores do bloco propositivo, Rudys, Givago e Luci Duarte foram favoráveis a proposta e sua demonstração de apoio mostra que a defesa pela Amazônia e pelo meio ambiente é uma luta legítima e que precisa combater o negacionismo. Já os 13 vereadores contrários demonstraram com essa atitude, sua devoção a política do governo Bolsonaro, negando assim um debate importante para o desenvolvimento do país e que deve ser feito em todas as esferas públicas, inclusive a municipal.


O líder do bloco propositivo explicou em sua fala que o uso da palavra repúdio no documento, embora muito rejeitado por vereadores, significa repudiar o desmatamento recorde da Amazônia legal, o aumento dos incêndios florestais nos últimos anos, a aliança com madeireiros ilegais, o negacionismo climático e o desmonte da fiscalização do Ibama e do ICMBIO.


Ele também alertou que, “hoje, o Brasil é um pária global. E não existe nenhum outro país que negue que a Amazônia esteja sendo desmatada”. Além disso, o posicionamento do ministério do meio ambiente, causa prejuízos a economia Brasileira. “Porque para que uma grande empresa venda os seus produtos, os demais países querem saber se o Brasil está comprometido e tem medidas de meio ambiente relacionadas, ou na ponta do que o mundo precisa”, explica o parlamentar.


__

Votaram a favor da moção: Ricardo Blattes (PT), Marina Callegaro (PT), Helen Cabral (PT), Werner Rempel (PCdoB), Luci Duartes (PDT), Givago Ribeiro (PSDB), Rudys Rodrigues (MDB); Votaram contra a moção: Tubias Calil (MDB), Roberta Leitão (PP), Pablo Pacheco (PP), Anita Beber (PP), Manoel Badke (DEM), Delegado Getúlio (REP), Alexandre Vargas (REP), Paulo Ricardo (PSB), Danclar Rossato (PSB), Tony Oliveira (PSL), Adelar de Vargas (MDB), Admar Pozzobom (PSDB), Juliano Soares (PSDB).