• Flora Quinhones

Gare em debate na Câmara



A Comissão de Educação, Cultura e Lazer realizou nesta quarta-feira, dia 30, uma audiência pública para debater a situação da Estação Ferroviária de Santa Maria, conhecida popularmente como Gare. Participaram da reunião parlamentares, representantes do Poder Executivo e de segmentos culturais.


O vereador Ricardo Blattes, mesmo não fazendo parte da comissão foi o proponente da reunião. Ele destacou a importância de se debater o futuro da estação. “A ideia é ter um debate onde todas as pessoas possam opinar sobre um importante ativo da cidade. Essa não é uma responsabilidade só de executivo, é uma responsabilidade dessa casa também. Então mais do que a defesa da cultura, é a defesa do patrimônio e nós estamos defendendo um modelo de desenvolvimento para nossa cidade" diz o edil.




Outras manifestações


O secretário extraordinário de Licenciamento e Desburocratização, Ewerton Falk, manifestou que é preciso encontrar uma alternativa para o local e que, além de uma sustentabilidade econômica, o espaço precisa ter uma sustentabilidade de utilidade para o município. Falk afirmou que a Prefeitura irá resolver esse impasse. “É desejo de todos nós, santa-marienses, recuperar a Gare. Nós vamos recuperar a Gare”. O chefe da pasta argumentou que não há melhor projeto de segurança do que “pessoas de bem ocupando os espaços públicos”.


O arquiteto e presidente do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico e Cultural de Santa Maria (Comphic), Fábio Muller, afirmou que a Gare reflete uma época pujante vivida pelo município. “É um patrimônio magnânimo da cidade”. Criticou o estado atual desse patrimônio. “Ela, hoje, parece. Está num processo gradativo. É urgente a ação”. Defendeu que seja criado um espaço para a realização de uma construção coletiva para que seja encontrada a melhor solução para o local. E, depois, se elaborar um projeto, buscando recursos públicos, privados ou ambos.


O representante do grupo da Estação e do grupo Arte Pública, Homero Boucinha, fez um breve resgate histórico do patrimônio em debate. “É fundamental ligar o centro comercial com o centro histórico da cidade”. Manifestou que a recuperação da Gare é fundamental para que, nesse espaço, haja um fluxo econômico, cultural e social. Defendeu que haja uma gestão compartilhada da Estação da Gare entre vários entes. Salientou que uma opção para o local ter uma funcionalidade é a implantação de um trem turístico e que essa iniciativa poderia gerar receita. “Ela não pode, depois, se transformar num elefante branco. Tem que ter uma funcionalidade”.


O presidente do Coletivo Memória Ativa, Orlando Fonseca, disse que se dá vida aos lugares com a presença de público nesses locais. “A Gare é um monumento à nossa identidade”. Defendeu a exploração cultural na Estação da Gare e destacou que cultura é a preservação de símbolos e que “Santa Maria terá errado muito feio, se não preservar esse símbolo”.


O advogado Georgio Forgiarini, disse que quando um espaço, como a Estação da Gare, está fechado, ele já está privatizado para a população de Santa Maria. O advogado defendeu que se tenha mais informações sobre o tamanho da área, entre outras, para que seja feito um debate consistente. “Uma discussão, para ser profícua, tem que preceder de transparência”.


O integrante do Movimento Negro Unificado, Guga Rocha, disse que a população jovem e marginalizada de Santa Maria utiliza o espaço e que estas pessoas estão preocupadas com o que será feito com a estação. Afirmou desejar que o espaço acolha a população do município e criticou: “que Cidade Cultura é essa que deixa a Gare chegar nesse estado de deteriorização?”. Que a Gare deixe de ser um espaço de medo, a partir das 18h, e seja um espaço de vida, de cultura”.


A secretária de município de Cultura, Rose Carneiro, salientou que para as pessoas preservarem um patrimônio, esse patrimônio tem que fazer sentido na vida dessas pessoas. A secretária destacou que “é nossa missão recuperar esses espaços, de fazer com que esses espaços sejam pertencidos. Informou que o Poder Executivo está realizando um mapeamento da população para que haja um amplo debate com a sociedade sobre a Gare que o município quer futuramente.


O presidente da Comissão, vereador Manoel Badke/ Professor Maneco, afirmou que será oportunizado à sociedade santa-mariense que envie sugestões para o tema através do e-mail da comissão: comissaoeducacao@camara-sm.rs.gov.br. Após, a revitalização da Estação da Gare será debatida pelo Parlamento Municipal e possivelmente, poderá ser criada uma comissão especial para auxiliar no debate sobre o tema, conforme Badke.



Texto: Mateus Azevedo com contribuições da assessoria do vereador Ricardo Blattes

Fotos: Flora Quinhones