• Flora Quinhones

Visita de esperança

Atualizado: 9 de jan. de 2021

Na manhã deste sábado, o vereador Ricardo Blattes, esteve em uma reunião a convite da irmã Lourdes Dill, no Centro de Referência de Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter. O encontrou foi um diálogo aberto sobre a situação do projeto Esperança/Cooesperança e da Feira Internacional de Economia Solidária (Feicoop), assim como outras atividades promovidas pelo movimento de economia solidaria da cidade.



Ao longo da conversa, a irmã explicou o histórico das atividades realizadas pelo projeto, como a forma que a Feicoop cresceu durantes as diversas gestões municipais, nos últimos 27 anos. Hoje a feira é reconhecida internacionalmente, sendo ela, de dimensões intercontinentais. Acontece uma vez ao ano, durante o mês de julho, mas em 2020, foi adiada para dezembro, com uma edição especial em função da pandemia e das dificuldades com o orçamento.


Ela também faz parte da articulação Nacional de ECOSOL e é um grande braço do Fórum Social Mundial (FSM), coordenado pelo Projeto Esperança/Cooesperança da Arquidiocese de Santa Maria. “Sendo assim, ela oferece Conferências, Seminários, Oficinas, Debates, Caminhada Internacional e Ecumênica pela Paz e Justiça Social, Momentos Culturais, Levante da Juventude e outras atividades, onde as pessoas se tornam sujeitos participativos e os Empreendimentos Solidários, colocam a disposição dos Consumidores/as uma grande variedade de produtos produzidos pela Economia Solidária, Agricultura Familiar, articulação com os consumidores/as e Entidades parceiras e apoiadoras”, conforme informações do site.


No entanto, mesmo com essas dimensões, o evento vem sofrendo a 12 anos com falta de incentivo financeiro necessário para cobrir as despesas totais do acontecimento. “Nós temos dinheiro só para as coisas miúdas”, relata a irmã. E ainda afirma que houve tempos, em que se existia transporte público gratuito para o local, passagem, refeição e capacitação para aqueles que trabalhavam na feira. Já na atualidade, a realidade é de que caso Santa Maria não abrace esse grande evento, que gera lucro e rendimentos para a economia local, ele possa acabar.



Desta forma, Blattes ouviu as diversas demandas relacionadas ao projeto Esperança/Cooesperança e se comprometeu com a causa. A partir de agora, a equipe do mandato fará um estudo sobre o que se têm registrado em lei para a destinação de orçamento para a feira. Assim, ele também sugeriu que se faça uma ação para encaminhar 3 leis diferentes, mas que impactam diretamente na construção de uma política pública que de fato, faça com que exista um orçamento destinado para a economia solidaria na qual é a base da Feicoop.


A primeira delas é instaurar um projeto de politica pública municipal de economia solidaria, que apesar de parecer simples, ainda não existe em Santa Maria. O segundo, para regulamentar um conselho municipal de economia solidaria. E o terceiro, é a criação de um fundo destinado para a pratica de economia solidaria. Essas são ações que não dependem inteiramente de um vereador, mas a proposta é de um estudo que possa provocar a discussão dos demais colegas do parlamento.


Blattes reintera: “Eu quero ser um vereador comprometido com esta causa! Eu já era como cidadão e agora, este cargo me da muito mais força para lutar por isso! E estou aqui colocando o mandato a disposição para trabalharmos juntos”.