• Flora Quinhones

Os saberes e os Fazeres no Patrimônio Histórico com Andrey Rosenthal

No início da tarde desta sexta-feira, dia 04, Blattes trouxe ao programa #Hora13 do Canal da Resistência, Andrey Rosenthal, Ex-Diretor do Departamento de Patrimônio Material e Fiscalização do IPHAN. Ativista e professor do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Brasília


O objetivo da conversa foi discutir sobre o que pode ser feito para preservar e defender o Patrimônio Histórico brasileiro e qual a sua importância socio-cultural para a comunidade.


Durante o diálogo houveram diversas intervenções de ex-alunos do professo que chegou a dar aulas no curso de Arquitetura e Urbanismo na UFSM. Desta forma, a discussão pode ser aproximada da realidade de Santa Maria, que tem em pé o maior conjunto contínuo de Art Déco da América Latina (segundo das Américas). Sobre o assunto, o especialista falou um pouco sobre o histórico da Avenida Rio Branco, e a construção da região ferroviária como um espaço importante de valorização para a cidade, assim como edifícios feitos para a "cidade universitária" que assumem uma arquitetura mais moderna. Aproveitando a oportunidade, Andrey também deixou uma mensagem para a administração municipal, na qual ele diz ser um dos principais ensinamentos que da aos seus alunos.

"Prefeito, não fique preocupado com o turismo da cidade. Faça sua cidade ser boa para o cidadão. Se a cidade tiver calçada, tiver acessibilidade. Se a praça tiver limpa, iluminada, segura e as pessoas gostarem de andar nas ruas da cidade. Pode ter certeza que vai ter muito turismo. Se inverter e achar que vai ter que construir coisas para trazer turista. Os turistas vão para as coisas originais. Eles vão para onde de fato está oferecendo qualidade. A gente tem que defender sempre uma arquitetura de qualidade. A cidade é o bem mais coletivo que o ser humano, até hoje conseguiu construir. E é o nosso, mais precioso bem cultural", afirma o arquiteto.


Além disso, a conversa tratou sobre a importância e relevância de se usar o recurso de tombamento para a preservação histórico-cultural de um patrimonio. Sobretudo, ressaltou o dever dos estados e municípios garantirem politicas publicas para que esses imoveis não sejam deteriorados ao longo do tempo. O arquiteto também fez criticas à forma como o atual governo vem adotando uma política de desmonte dos órgãos públicos que tratam da temática. Andrey que ocupou o cargo de Diretor do Departamento de Patrimônio Material e Fiscalização (IPHAN), lamenta o fato dê o órgão que antes tinha um corpo de profissionais qualificados, ter se tornado um local de ''cabide de empregos'', que hoje tem em sua administra;áo, um pastor.


"Um país que assume que não tem Ministério da Cultura. Já começa por aí se perceber o quanto está errado. E depois colocaram a cultura no turismo, na mão de pessoas totalmente desqualificadas e não foi surpresa quando imediatamente toda a estrutura de defesa pelo patrimonio histórico nacional, onde trabalhei por 9 anos. Digo estrutura de técnicos com formação específica, que foram substituídas por pessoas que não tem a mínima condição", manifesta o ex-Diretor do Iphan.


Mesmo com o momento ruim, Andrey acredita na reestruturação da defesa pelo patrimônio histórico nacional a partir de novos debates que devem começar já no ano que vem, e acompanhar as propostas de um novo governo que valorize a cultura do país.


Confira live completa


Currículo Andrey Rosenthal

Universidade Federal de Pelotas (1987), mestrado em Arquitetura pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1994) e doutorado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (1999). Atualmente é professor Titular da Universidade de Brasília. Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em História da Arquitetura e Urbanismo, atuando principalmente nos seguintes temas: de preservação do patrimônio cultural, arquitetura brasileira, arquitetura no Rio Grande do Sul e arquitetura e urbanismo em Brasília. Dedica-se também às questões relacionadas com a melhoria do Ensino de Arquitetura e Urbanismo. Participou da Comissão Assessora de Avaliação da Área de Arquitetura e Urbanismo do ENADE; da Comissão Consultiva de Arquitetura e Urbanismo da Rede de Agências Nacionais de Acreditação (RANA) do Sistema de Acreditação do Mercosul; foi consultor do Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras para a área de Arquitetura e Urbanismo; Membro da Comissão de Arquitetura do INEP-Confea; e Diretor da Associação Brasileira de Ensino de Arquitetura e Urbanismo (ABEA). Foi Diretor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UnB (2004-2011), Coordenador da Área de Arquitetura e Urbanismo e Design da CAPES (2011), Bolsista de Produtividade em Pesquisa 2 e Diretor do Departamento de Patrimônio Material e Fiscalização do IPHAN (2011-2019).

__

Desde o início do mandato, o vereador Ricardo Blattes se propôs a elevar o debate da política em Santa Maria. E embora essa seja a primeira viagem do edil pela Câmara de Vereadores, o parlamentar já demonstra sua capacidade de se destacar trazendo conversas de caráter nacional com figuras importantes da política brasileira e que ajudam no desenvolvimento de propostas para o município. O programa Hora13 acontece toda sexta-feira, às 13h. E pode ser assistido pelo Youtube do Canal da Resistência (Aqui) ou pelo facebook blattes.pt (Aqui).