• Flora Quinhones

NOTA DE ESCLARECIMENTO


Segunda-feira, fiz uma crítica em meu perfil particular, reservada aos meus amigos, sobre o evento que buscava exaltar o Marechal Emílio Luíz Mallet e a Artilharia do Exército Brasileiro. Pois hoje(15), eu e minha família fomos atacados de diversos meios por aqueles que se dizem pessoas de bem. Fiz uma crítica democrática a fatos que acredito não acrescentarem à população. Sobretudo, quando isso acontece em um período de excepcionalidade. No momento, nem os músicos podem tocar em bares, mas os militares podem fazer um grande teatro e serem regados com uma cerimônia luxuosa por isso. Hoje vivemos uma guerra sanitária e desde que a pandemia começou, o Hospital Geral de Santa Maria não disponibilizou seus leitos aos civis.


Desde a redemocratização não se via tamanha interferência política por parte de setores das Forças Armadas. Assim sendo, estão sujeitos às críticas pela posição que ocupam. É lamentável que um comentário em rede social seja motivo para ameaças e não para um debate real sobre as atribuições constitucionais desta instituição permanente de Estado, que deve ser respeitada.