• Flora Quinhones

Blattes exige respostas e repudia ataques pessoais

O vereador Ricardo Blattes utilizou o seu tempo de liderança do PT para defender seus posicionamentos e respondeu a nota dada para a imprensa por João Ricardo Vargas na qual diz que "Blattes usa subterfúgios para atrapalhar os trabalhos da Câmara de Vereadores".


O ataque

O ataque se deu após questionamentos regimentais feitos por Blattes, na última sessão do dia 12 de agosto. Na ocasião, os vereadores tratavam sobre a Comissão Especial instaurada para tratar sobre os controladores de velocidade. Blattes fez duas questões de ordem. Sem saber responder, Vargas saiu do controle a ponto de chamar Blattes para ter "uma conversa" fora do plenário (garagem) e partindo para cima do vereador imediatamente. Seguido a cena, o presidente abandonou a sessão e a confusão que havia armado. No dia seguinte, da mesma forma que já fizera anteriormente, o Presidente lançou um nota à imprensa evasiva quanto aos questionamentos e atacando Blattes pessoalmente.

Foto: Flora Quinhones - Assessoria de Imprensa

Blattes faz defesa de seu posicionamento


Nesse sentido, na primeira sessão após a confusão, Vargas reconsiderou a decisão tomada de deferir a extinção da Comissão sobre os Controladores de Velocidade e Blattes foi a tribuna para cobrar respostas e repudiar os taques pessoais.


Ricardo deixou claro que seu mandato está estruturado em questionamentos propostos desde a época de campanha. Segundo ele, cobrar medidas administrativas não pode ser considerado um ataque pessoal. Isso porque em sua concepção, os questionamentos são feitos baseados na sua formação de advogado e contador. Por tanto, espera-se que eles sejam cautelosos, cuidadosos, minuciosos, atentos ao que está escrito quando se trata das pautas legislativas. Ele ainda destaca: Quem vota no Ricardo Blattes, tem a expectativa de que ele não vá deixar passar.


Durante 20 minutos de fala, reiterou as cobranças quanto a gestão da Câmara, aproveitando a oportunidade para apontar a falta de atas, o destino do prédio inacabado da Câmara, assim como outros problemas administrativos que vem ocorrendo. No dia do Patrimônio Histórico, também lembrou que a sede da Câmara é um prédio histórico e que está caindo aos pedaços pela letargia administrativa.


"O compromisso que tenho com a comunidade de Santa Maria, é de sempre olhar no olho e fazer o enfrentamento. Não sou do jogo sorrateiro. E é talvez por isso que tenho conquistado a confiança e o respeito da imensa maioria dos parlamentares. (...) o que eu trago constantemente, e não vou deixar de trazer, são esses questionamentos. Essa chamada inconformidade, 'porque foi sempre assim', não nos basta. Somos uma nova legislatura que está atuando dentro do jogo das quatro linhas. Então eu faço esse apelo. Não há porque pessoalizar.", reforça Blattes.


O Presidente João Ricardo Vargas ouviu Blattes sem lhe dirigir o olhar, e após o final do discurso passou a Presidência ao Vice-Presidente Paulo Ricardo e foi embora.


Veja manifestação completa: